Mar.

junho 15, 2005

Pedido de caneta no café

É só uma potencialidade, eu sei. Melhor: é uma quasemúsicaideiaquetivehojeaopegar-pelaprimeiravezemmuitotemponaguitarra-eléctricasemumacordacomtodasasoutras-ferrugentas. Mas precisa de um poema. Para não se sentir sozinha.

Convoca-se os deuses da escrita. A Catarina não quer escrever. Não quer. (ponto) Respeitemos... Viramo-nos para os outros. Amores. Três. Este e este. E um outro, sem este-hiperligado.

Quando pedi à Catarina, há pouco, disse-lhe: - Horrorizantemente sufocante. Assim se quer. O poema. Pela quasemúsicaideiaquetivehojeaopegarpelaprimeiravezemmuitotempona-guitarraeléctricasemumacordacomtodasasoutrasferrugentas.


* Pintura de Salvador Dali: Lighted Giraffes

3 ondas:

  • At 4:42 da tarde, Blogger nibs said…

    Quando tocas a ideia p mim?

     
  • At 2:36 da tarde, Blogger verttigem said…

    Este comentário foi removido por um gestor do blogue.

     
  • At 5:18 da tarde, Blogger Hugo Torres said…

    Agora:
    Dó - Fá - Dó - Fá - Dó - Fá - Dó - Fá - Dó - Fá# - Dó - Fá# - Dó - Fá# - Dó - Fá# - Dó# - Fá# - Dó# - Fá# - Dó# - Fá# - Dó# - Fá# - Dó - Fá# - Dó - Fá# - Dó - Fá# - Dó - Fá# - Dó - Fá - Dó - Fá - Dó - Fá - Dó - Fá... e repete. Muitas vezes, em círculos asfixiantes, num crescendo de intensidade. Com um efeito (nas notas, na guitarra) que lhe dará todo o espírito maquiavélico.
    Assim.

     

Enviar um comentário

<< Home