Mar.

fevereiro 14, 2005

DE MÃOS DADAS

Um fio de água nasceu no cimo do monte.
Encontrou outro fiozito e deram as mãos.
E seguiram.
Encontraram outro, abraçaram-se.
E cresceram.
Passaram pelo campo e regaram as hortas.
Foram dar de beber à fonte e empurrar a roda da azenha.
Trabalharam na fábrica, deram luz às lâmpadas e vida aos peixes.
Depois foram dormir no mar.

Maria da Glória Caldeiro

2 ondas:

  • At 4:58 da tarde, Blogger verttigem said…

    Tãaaaao bonito: enternecida.

     
  • At 8:20 da tarde, Blogger Ricardo said…

    E é a dormir no mar
    que esses fios de água harmoniosos
    têm o dom de me acalmar
    sendo de tal forma tão carinhosos

    A água, a areia, a praia o mar
    tanta calma me conseguem dar
    que só junto deles me apetece estar
    e sempre com vontade de sonhar!...

     

Enviar um comentário

<< Home